MURICY, VIDA ENTRE BASQUTEBOL E MEDICINA

José Candido Muricy: pioneiro e “Medicina com alma”

José Candido Muricy: pioneiro e “Medicina com alma”

Um dos muitos personagens interessantes que meu livro Vozes do Paraná, Retratos de Paranaenses, volume 10, apresentará em 2018, é José Candido Muricy, 73.

Ele é bom exemplo de mobilidade social na sociedade moderna que abre portas à livre iniciativa.

Médico muito bem formado na UFPR – quinto lugar entre 200 -, bem-sucedido desde o começo em sua profissão, Muricy tem história singular de vida, marcadamente a de um empreendedor na área médica.

NUMA SALINHA

As coisas com ele começaram assim: em 1976, ousando e arriscando o pouco capital de que dispunha, alugou uma pequena sala de 25 metros quadrados, na Vila Hauer, em Curitiba, e colocou – literalmente – mãos à obra.

Mandou imprimir uma série de panfletos que anunciavam sua clínica, a que deu o nome (sugestão do pai) de Clinihauer.

PANFLETAGEM

Distribuídos os panfletos fartamente naquela área da cidade, os clientes foram aparecendo em busca de socorro num tempo em que os planos de saúde apenas engatinhavam. A clientela não parava de crescer.

Associando-se, em seguida, a mais dois companheiros médicos, Muricy atendia a toda sorte de situações: de partos à cardiologia, de endocrinologia a “check-ups”… Dia e noite.

BISAVÔ DR. MURICY

Nascido em família tradicional de classe média, bisneto do Dr. Muricy, esse nome quase lendário da História do Paraná – fundador da Santa Casa de Misericórdia de Curitiba – José Candido foi dos pioneiros na venda de planos de saúde para empresas. Não há exageros na afirmação. São testemunhos desse pioneirismo as empresas que foram contratando os serviços médicos para seus empregados, como a Inepar, o Bamerindus, os Correios, Placas Paraná, a Fiep…

A história da Clinihauer é marco na história da Medicina do Paraná.

Chegou a ter 130 mil beneficiários, 1.500 empregados, um hospital muito bem equipado, o Milton Muricy (nome do pai de José Candido), na CIC, convênios com outros hospitais.

MEDICINA COM “ALMA”

Em 2007, encerrou suas atividades a Clinihauer, sendo adquirida pelo grupo AMIL, pelo valor, então, de R$ 55 milhões.

José Candido Muricy tem depoimentos preciosos sobre o nascimento, o desenvolvimento e o porquê do fim de sua Clinihauer.

Basicamente, ele foi sentindo que, com as pressões da vida moderna, estava ficando difícil manter “Medicina com alma”, como a que ele praticava na Clinihauer.

Isto quer dizer: os compromissos financeiros enormes iam avultando e ele, correto no relacionamento empresarial, não admitiria, jamais, tratar o paciente apenas como “mais um número”. Não faria concessões à qualidade do serviço médico em função de lucros.

Vendeu a Clinihauer para não se trair.

BASQUETE CAMPEÃO

Carlos Marassi e Luiz Carlos Hauly: companheiros de basquetebol sênior.

Carlos Marassi e Luiz Carlos Hauly: companheiros de basquetebol sênior.

José Candido Muricy é hoje um referencial brasileiro em cirurgia capilar. Antes, notabilizou-se como cirurgião plástico. E, ao mesmo tempo, foi montando uma história de campeão no universo do basquetebol, vencedor em campeonatos.

Na categoria do basquetebol sênior, Muricy tem se apresentado mundo afora. Ele e seus companheiros de basquete, veteranos como Carlos Marassi, Luiz Carlos Hauly, e, no passado, o jornalista João DeDeus Freitas Neto (in memoriam).