PARANÁ GERMÂNICO, ANTONELLI E WILSON BUENO

Wilson de Araujo Bueno: ele conhece o ‘velho Paraná’; Diego Antonelli: preciosa presença; Fábio Campana: editor antenado

Wilson de Araujo Bueno: ele conhece o ‘velho Paraná’; Diego Antonelli: preciosa presença; Fábio Campana: editor antenado

Quando editores de jornais e revistas aliam competência administrativa e visão jornalística, o resultado aparece, notável, exemplar. Digo isto com muita satisfação, ao ler o número de janeiro da revista Ideias, de Fábio Campana. Está melhor do que nunca, mantendo-se ímpar num Estado do porte do Paraná. Não há outra publicação destas plagas que se possa cotejar com Ideias, como revista de temas gerais.

MUNDO POLÍTICO, IDEM

Meu entusiasmo não é pela apenas pela qualidade gráfica e visual da revista. As análises do universo político feitas por Fábio Campana continuam de primeiríssimo nível. De alto coturno, além de colaborações que garantem um lugar único na nossa imprensa. Lá estão Luiz Geraldo Mazza, Mariana Camargo, Adriana Sydor, EdmiIson Fabbri, Solda…

96-Ideias inclinadaOS ALEMÃES NO PR

A edição de Ideias de janeiro reserva à inteligência uma presença que não me canso de louvar, o jornalista Diego Antonelli. Ele estreia nas páginas da revista com uma sólida análise sobre a contribuição dos germânicos na vida paranaense. Tudo muito bem ilustrado, calcado nas pesquisas que poucos, além de Antonelli, fazem em nosso meio jornalístico.

NA TOPVIEW, PRECISÃO ‘AA’

Comecei a ler, com mais atenção, a revista Topview, que o publisher Leonardo Petrelli mantém solidamente. É leitura obrigatória de um público AA.

Agora tenho mais motivos para ler Topview: a revista ganhou a colaboração mensal do colunista Wilson de Araujo Bueno. Como diz o sintético texto de sua apresentação aos leitores, Wilson “guarda a memória de boa parte vida tradicional sociedade paranaense”.

Outras qualidades apreciáveis no trabalho do colunista são a discrição com que atua e a precisão com que opina e informa.