INSTITUTO DO CÂNCER, REALIDADE NOS CAMPOS GERAIS

Pauliki, Cida e Barros, em P.Grossa

Pauliki, Cida e Barros, em P.Grossa

Em eventos realizados na semana, em Ponta Grossa, o ministro da Saúde, Ricardo Barros, e a vice-governadora Cida Borghetti destacaram a importância da implementação do Instituto do Câncer dos Campos Gerais (ICCG), que foi idealizado pelo deputado estadual Marcio Pauliki. O ICCG está sendo implantando no Hospital Regional Universitário de Ponta Grossa.

SERÁ REFERENCIAL

O ministro Barros considera o Instituto fundamental para os serviços oncológicos de toda região e que se tornará referência para todo Brasil.

Ele também destacou, na oportunidade, outros recursos que estão sendo disponibilizados para a saúde de todo o Paraná. “Nós temos complementado os recursos do estado. Já fizemos R$ 300 milhões de credenciamento de serviços que anualmente serão somados aos serviços aplicados pelo Paraná”, afirmou.

R$ 2 MILHÕES EM EMENDAS

A vice-governadora Cida Borghetti destacou que Pauliki já disponibilizou, via emendas parlamentares, R$ 2 milhões para a 1ª fase do ICCG e que agora pleiteia mais R$ 8 milhões para a 2ª fase que é a construção de seis novos centros cirúrgicos e 25 novos leitos – os quais servirão para todas as cirurgias eletivas, inclusive as cirurgias oncológicas.

“Ponta Grossa é uma cidade que atende toda região dos Campos Gerais e é preciso elevar cada vez mais a qualidade, investir nos hospitais, que vai desafogar os outros centros. Além do mais, dará conforto aos pacientes que não precisarão ficar viajando e terão um serviço médico de qualidade aqui na cidade”, ressaltou Cida.

FARMÁCIA ONCOLÓGICA

A primeira fase do Instituto do Câncer foi apresentada em novembro e nesse momento os recursos conquistados por Pauliki serão destinados a construção da Farmácia Oncológica e para o Centro de Tratamento de Leucemias e Linfomas (CTL) que terão 12 leitos e sete cadeiras de infusão. As famílias de pacientes também terão à sua disposição a Casa da Acolhida – um ambiente acolhedor, com sala de estar, cozinha comunitária, onde as famílias poderão pernoitar e aguardar o tratamento.

Entre 2018 a 2020 serão aplicados mais 20 milhões de reais para a conclusão de todas as fases do projeto que inclui a construção do Instituto da Criança que tornará a região referência também em oncologia pediátrica e residências médicas em todos os setores da área.