MINISTÉRIO PÚBLICO QUER SABER SOBRE ‘CORTE’ DA PRAÇA DO JAPÃO

Praça do Japão: nova ameaça?

Praça do Japão: nova ameaça?

A promotoria de Habitação e Urbanismo do Ministério Público do Paraná deve enviar à prefeitura de Curitiba um pedido de informações sobre as obras do contorno do Expresso Ligeirão Norte. Segundo denúncia de moradores da região do Batel, há informações de que a administração pública teria retomado o projeto para dividir a Praça do Japão ao meio com o objetivo de facilitar a manobra dos ônibus.

Isso aconteceu nos primeiros dias do Governo Gustavo Fruet, que depois reconsiderou a proposta.

CALADA DA NOITE

Nesta semana, representantes do Conselho de Segurança do Batel estiveram na sede do MP, no Centro Cívico, para relatar o problema. Segundo Acef Said, presidente do conselho, existe a desconfiança de que a obra suspensa durante a gestão do prefeito Gustavo Fruet (2013-2016) seja retomada na “calada da noite”.

CHAMA O DEPUTADO

O deputado estadual Ney Leprevost (PSD), que também foi visitado por membros do conselho e do Comitê Nacional do Cerimonial Público em seu gabinete, na Assembleia Legislativa, disse que os moradores temem que a prefeitura aproveite o período de Carnaval para iniciar as obras sem prévio aviso.

HOMENAGEM À IMIGRAÇÃO

Said diz que o acordo entre e prefeitura de Curitiba e as empresas do transporte coletivo que permite a implantação do Ligeirão Norte-Sul, sete anos depois do projeto de desalinhamento das estações-tubo ter início, põe em risco um local que representa um cartão postal da capital paranaense e é uma homenagem à imigração japonesa.

NEGATIVA

Em nota enviada por meio de sua assessoria, o Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (IPPUC) negou que estejam previstas alterações viárias na Praça do Japão.

ABAIXO-ASSINADO

Em 2013, moradores da região do Batel informados de que a área de convívio público poderia ser alterada, promoveram um abaixo-assinado com 17 mil assinaturas contrárias às obras do contorno.