13 diáconos casados ganharão ordenação

Ordenação-Sacerdotal

1 | Há muitos católicos que ainda não se deram conta que, com o Concílio Vaticano II (1962/65), a Igreja restaurou a categoria de diáconos permanentes, os chamados diáconos casados.

O fato é que eles estão presentes em todo o país, auxiliando a vida das paróquias.

Podem fazer casamentos, batizados e outras funções litúrgicas. Mas não podem celebrar missas nem ouvir confissões. Nem terão acesso, como regra, ao sacerdócio. Só excepcionalmente, se forem viúvos, poderão pedir a ordenação sacerdotal.

2 | A propósito: está marcada para 20 de julho, no ginásio esportivo da PUCPR, a ordenação de 13 novos diáconos de Curitiba.

Quase todos os 13 são portadores de formação universitária, casados (obrigatoriamente) e a média de idade desse grupo é de 38 anos.

Eles passaram dois anos estudando na Escola Diaconal São Felipe de Nery, da Arquidiocese de Curitiba, com aulas de Filosofia e Teologia, além de Sagradas Escrituras, Bioética, Geografia Bíblica, História, Homilética, Pastoral, etc.

A figura do diácono casado, restaurado com o Vaticano II, foi resultado sobretudo do trabalho de João XXIII.